A Chicago Mercantile Exchange (CME), principal mercado de derivativos do mundo e responsável por forte alta do Bitcoin desde os boatos até o lançamento do ativo no seu mercado em dezembro de 2017, disse que não deve apresentar contratos futuros semelhantes ao do bitcoin para as altcoins, as criptomoedas de menor tamanho.

A entrevista foi concedida por Terry Duffy, CEO da CME, à agência de notícias Bloomberg. Segundo ele, o lançamento de contratos futuros de bitcoin pode ter sido o lançamento “mais polêmico do mundo” e, portanto, a empresa deve continuar avaliando o desenvolvimento desse ativo que é o principal do mercado.

“Não vou apenas colocar produtos lá em cima para ver aonde eles vão. Eu vou esperar e ver a abordagem com o Bitcoin por enquanto. Isso vai levar algum tempo de uma forma ou de outra e vamos fazer do jeito certo”, disse Duffy justificando sua posição de que seria irresponsável a empresa lançar ativos altamente voláteis e novos no mercado.

A CME já informou que os contratos futuros de bitcoin tiveram um aumento em cerca de 93% no segundo trimestre desse ano em relação ao trimestre anterior.

Enquanto a CME se mostra pessimista no assunto, a CBOE – Chicago Board Options Exchange – disse estar monitorando outros mercados para garantir a infra-estrutura necessária para buscar o negócio de outras criptomoedas.

“Ao estar no desenvolvimento de produtos, nossa tarefa é buscar novos produtos o tempo todo, então estamos constantemente avaliando esse mercado, e também estamos avaliando outras criptomoedas, entre outros itens. Mas vimos como o Bitcoin se desempenhou, por isso estamos definitivamente monitorando outros mercados para garantir que a infraestrutura e tudo esteja no lugar, caso desejemos buscar outras criptomoedas”, disse Dennis O’Callahan, diretor de desenvolvimento de produtos da CBOE.

Conheça o Mercado Bitcoin, maior corretora de criptomoedas da América Latina

 

Altcoins ainda não, diz CME
4.9 (8 votos)