Apesar de uma série de notícias boas durante a semana, o Bitcoin despenca e está cotado muito próximo aos US$7.000 (R$27.000 no Mercado Bitcoin). O criptoativo caiu mais de US$500 em seis horas, e 90 das 100 maiores criptomoedas estão operando em queda nas últimas 24 horas. A recordista é a VeChain, com queda de 13%.

O Bitcoin chegou a operar com uma mínima de US$6980 (R$26.600 no MB), com a maior parte das análises técnicas mencionando que o novo suporte crítico é de US$6800. Com o movimento, a moeda acumula uma perda semanal de 15%. Apesar disso, os ganhos mensais ainda são positivos, em 5%.

Essa queda está em contraste com as boas notícias recentes do Bitcoin.

Bitcoin despenca e testa novo suporte

Intercontinental Exchange (ICE) e o mercado de criptomoedas

Apesar de pouco conhecida pelo nome, especialmente no mundo das criptomoedas, a ICE é uma das maiores empresas de bolsas do mundo. Além de ser um dos maiores mercados de balcão globais, controla 23 empresas, incluindo a New York Stock Exchange (NYSE). Eles planejam criar um ecossistema global com criptoativos, que inclui desde a negociação de futuros até seu uso como meio de pagamento.

A iniciativa, conhecida como Bakkt, conta com o apoio de grandes empresas, como Microsoft, Starbucks e Boston Consulting Group (BCG). Essas parcerias visam aumentar o uso do Bitcoin como meio de pagamento. A intenção, no final, é “criar uma plataforma integrada, que permita que investidores, consumidores e comerciantes possam comprar, vender, armazenar e gastar criptoativos em uma rede global”.

A notícia é ainda mais importante depois que a firma Chainanalysis constatou que o uso comercial do Bitcoin caiu para US$60 milhões em maio de 2018, depois de um pico de U$411 milhões em setembro de 2017.

A lista de investidores da Bakkt é impressionante. Ela inclui gigantes do mundo das criptomoedas como o fundo de venture capital Galaxy Digital, Alan Howard, o fundo Pantera Capital e os Susquehanna International Group.

Além da maior adoção como meio de pagamento, o comunicado abriu espaço para a entrada em peso dos investidores institucionais. Os atuais contratos futuros de Bitcoin possuem apenas denominação em dólares. Ou seja, seu volume não afeta a demanda por Bitcoin, já que o contrato apenas acompanha a variação do preço, sem a necessidade de que o investidor possua Bitcoins.

A NYSE, controlada pela ICE, vai lançar um contrato futuro de Bitcoin com entrega física. Isso quer dizer que na expiração do contrato, os investidores terão de fato posições na ciptomoeda. Assim, trata-se de um movimento para entrada de grandes players que de fato vai representar grande mudança no volume e nos níveis de preço do Bitcoin.

A notícia de lançamento da Bakkt foi considerada por muitos como a melhor do ano até agora, para o mercado cripto, e deve surtir efeito nos preços.

Conheça o Mercado Bitcoin, maior corretora de criptomoedas da América Latina

Apesar das boas notícias Bitcoin despenca hoje
Avalie