Os poderosos bancos começaram a se curvar para o Bitcoin?

O banco Goldman Sachs sempre teve uma relação polêmica com tudo que tem a ver com o Bitcoin.

A novidade é que seus executivos começam a dar sinais que estão cada vez mais próximos da tecnologia revolucionária.

O CEO da instituição, Lloyd Blankfein, já admite que o Bitcoin é a moeda do futuro.

Apesar de assegurar que ainda não tem investimentos na criptomoeda, contudo ele acredita que o consenso fará toda a diferença na aceitação da moeda digital.

Análise histórica

De acordo com Blankfein, se olharmos a trajetória das moedas que existem hoje, vemos claramente que o Bitcoin pode funcionar em um “Novo Mundo”.

“Uma vez li um texto que falava sobre uma época em que uma moeda só valia sua quantia proposta se tivesse o mesmo preço agregado em ouro”, afirmou ele em entrevista a Bloomberg.

“Atualmente temos o dinheiro de papel cujo valor é garantido graças a um governo ou a um Banco Central… Talvez, no futuro, tenhamos algo que terá seu custo definido por consenso sem intermediários”, comentou.

Nesse ponto o Bitcoin sai na frente por estar em uma posição única, pois sua tecnologia subjacente e posição no mercado a tornam a verdadeira moeda do consenso.

A tecnologia blockchain, que é um dos pontos fortes da moeda digital, obriga o sistema financeiro tradicional a se preparar para lidar com algo inevitável: o futuro.

E a tecnologia do Bitcoin é revolucionária e gera influência sobre todo o setor financeiro.

Ceticismo do CEO do Goldman Sachs

Blankfein ressalta que as pessoas desconfiavam do poder do dinheiro de papel quando ele surgiu, mas isso não fez com que nenhum governo desistisse dele.

“Ao longo dos anos aprendi que existem diversas coisas que funcionam muito bem e que eu não preciso gostar”, disse o executivo.

Apesar da aparente cautela com relação ao Bitcoin, fica claro que o CEO acredita que a novidade tem o poder de mudar a ordem das coisas.

E muitos outros chefões da área estão na mesma situação.

Bitcoin é moeda do Novo Mundo, diz CEO do Goldman Sachs
4.8 (10 votos)