O Mercado Bitcoin e a conferência de Bitcoins em Amsterdam

Mercado-Bitcoin-Sponsorship-Bitcoin-2014

Mercado Bitcoin patrocinando a Bitcoin 2014

Em maio de 2013 embarquei para San Jose, no Vale do Silício, para a primeira conferência de Bitcoins organizada pela recém-criada Bitcoin Foundation. Naqueles dias meu amigo da época de USP, o Gustavo, e eu havíamos acabado de sacramentar a compra do Mercado Bitcoin. Éramos vistos como doidos ou irresponsáveis, dada a quantia de dinheiro em que comprometemos em um negócio de risco tão alto. Mas esta não foi uma decisão impensada, desde 2012 vínhamos estudando o potencial da tecnologia.

Não me lembro exatamente da primeiramente vez em que ouvi falar de Bitcoin. Praticamente simultaneamente, li uma uma reportagem da revista Super Interessante falando de uma nova moeda e um estagiário do banco em que eu trabalhava contava para todos que quisessem ouvir a respeito das loucuras da mineração de moedas virtuais. O ponto é que estudá-la virou um passatempo, e o passatempo passou a ser meus estudos, meu trabalho e minha paixão.

Exatamente um ano após aquela viagem e a compra do Mercado Bitcoin, novamente tomei um avião, desta vez na companhia do Gustavo, e fomos para Amsterdam, palco da Bitcoin2014. O segundo evento organizado pela Bitcoin Foundation.

Este intervalo de um ano entre um conferência e outra foi com certeza o ano mais intenso de nossas vidas. Além de tocarmos empregos paralelos durante a maior parte do tempo, tivemos a loucura dos chineses comprando Bitcoins como se não houvesse amanhã no final de 2013, o que pediu noites em claro e a contratação de um time e de uma sede para a empresa em em um fim de semana. Trabalho que consumiu até a última gota de energia do Gustavo, que no final contratou pessoas de quem tenho orgulho. Houve também uma série de altos e baixos, explicações para autoridades, clientes compreensivos e outros menos, palestras por todo o planeta e toda sorte de problema e de solução. Sem contar que neste intervalo o Gustavo tornou-se um dos nadadores mais rápidos do Brasil aos trinta e poucos anos após uma década sem treina. Neste tempo eu me tornei pai.

Nossa empresa tornou-se a maior bolsa de moedas virtuais da América latina, com a maior comunidade ativa no Facebook no planeta. Dois novos sócios subiram à bordo, o Maurício e Marcos, chegamos a operar quase 20 milhões de reais em dois meses e pagamos os impostos sobre cada centavo. Fomos reconhecidos pela mídia nacional e mundial, chegando a ter uma matéria sobre nós na Bloomberg, uma das maiores empresas de informações financeiras do mundo. Foram 12 meses bem intensos.

Bom, agora que falei demais, chegamos em 2014, a Amsterdam.

A conferência foi de uma organização impressionante, e boa parte do que foi feito estava sob liderança de uma brasileira, a Fernanda. Ela devia ter sido chamada para por ordem na copa, ou nas olimpíadas. As discussões e palestras aconteciam em quatro salas ao mesmo tempo. A Foundation prometou colocar todos os vídeos no canal dela no youtube, no endereço: https://www.youtube.com/user/BitcoinFoundation

Falando sobre minhas impressões, a primeira coisa a se notar é que o ambiente da conferência comparado à 2013 foi completamente outro. Em 2013 me senti em uma woodstook geek. Éramos todos nerds, discutindo como levar a tecnologia das moedas virtuais para as pessoas, discutindo mineração e aproveitando o tempo livre para ir comprar bonecos do Darth Vader na vizinhança.

A de 2014 foi completamente diferente. O que vou dizer aqui desagrada a muitos, mas o Bitcoin virou um negócio. Um negócio que já movimenta muitos milhões, está no caminho dos vários bilhões e já há quem diga que é um universo trilhonário.  Universo esse que já conta com o interesse dos governos das principais nações do planeta que neste momento estão  pensando em como encaixar essa nova tecnologia nas leis com que eles estão acostumados. Além dos nerds da conferência anterior, esta contou com a presença de várias figuras desta nova realidade. Muitos foram os fundos de investimentos, grandes empresas,  advogados e reguladores presentes. A fase da inocência acabou, e com ela foram embora figuras famosas do início do Bitcoin como a Mt-Gox, o Charlie Schrem, o Silk Road e mesmo a Apple fugiu de nós, proibindo carteira de Bitcoin na Apple store (por favor, se você tem um iPhone, troque por um Android). Empresas iniciantes em 2013 como o Bitpay de pagamentos, a Lamassu, fabricante de caixas de Bitcoins e a KNC de equipamentos de mineração tornaram-se grandes empresas.

Nós também crescemos e nos tornamos um dos patrocinadores do evento. Também palestramos a respeito do mercado latino americano e brasileiro. Confesso que nada disso passou por minha cabeça lá em 2013.

E o Bitcoin?

Posso afirmar que, se tínhamos alguma dúvida, agora não há mais. O Bitcoin veio para ficar. Neste último ano a tecnologia passou por diversas provas e sobreviveu a todas. Ainda estamos no começo e há questões a serem melhoradas, como torná-la acessível ao cidadão médio, com pouco interesse ou traquejo tecnológico. Mas está claro que criou-se ao mesmo tempo uma nova área de estudos das Ciências da Computação, da Economia e mesmo da sociologia.  Agora, além ser possível interagir com qualquer pessoa do mundo de forma instantânea, é possível também transferir valores, a custo baixíssimo, de maneira imediata, e isto muda tudo. Agora é possível pagar um professor de inglês na Austrália sem nenhum intermediário. É possível a carros que se auto dirigem pararem em um posto de gasolina, se abasteçam e paguem a própria conta.  É possível que robôs negociem uns com os outros. E tudo isso ficou claro neste último ano.

Agora resta a nós e todos que queiram empreender, criar as condições para que o Brasil seja um dos destaques na conferência de 2015. As moedas virtuais são uma tecnologia em que o fato de estar no Brasil não atrapalha e pode até ajudar novos empreendedores. É uma oportunidade como poucas na história. Ninguém pediu, mas fica meu conselho a quem quer empreender: estude o Bitcoin, estude as novas tecnologias que surgem dele como o Ethereum,  Side Chains, Dark Coin, Litecoin e meta a cara. Vão te chamar de doido, mas as chances de estar em Maio de 2015 em algum lugar do planeta discutindo os rumos das moedas virtuais é muito alta.

Rodrigo Batista, sócio do Mercado Bitcoin, na discussão sobre o Bitcoin no mundo

Painel Global Pioneers in Bitcoin – Bobby Lee (Moderador, BTC China), Zane Tackett (OK Coin), Meni Rosenfeld (Israeli Bitcoin Assoc), John Karanja (Whive.org), Rodrigo Batista (Mercadobitcoin.com.br), Steve Beauregard (Go Coin)

 

Mercado Bitcoin faz parceria com TradingView.com e disponibiliza gráficos avançados de Bitcoin e Litecoin


Gráfico do preço do Bitcoin no MercadoBitcoin.com.br





Gráfico do preço do Litecoin no MercadoBitcoin.com.br




O Mercado Bitcoin fechou uma parceria com o site TradingView.com, um dos principais sites de gráficos web do mundo, para disponibilizar os dados de negociações gratuitamente. Portanto, agora é possível ter acesso a dados e fazer análises avançadas tanto de Bitcoins, quanto de Litecoins. O gráficos estão disponíveis nos seguintes endereços:

Bitcoin: https://www.tradingview.com/e/?symbol=MERCADO%3ABTCBRL

Litecoin: https://www.tradingview.com/e/?symbol=MERCADO%3ALTCBRL

É possível também adicioná-los gráficos em sites e blogs por meio do widget disponível em https://www.tradingview.com/widget/

O Trading View é também uma rede social onde os usuários podem conversar sobre os negócios que estão fazendo.

Assim, o Mercado Bitcoin espera facilitar ainda mais as negociações de Bitcoins no Brasil.

Bons negócios a todos,

Equipe do Mercado Bitcoin

Não entre em pânico e traga sua toalha!

 

Olá, clientes do Mercado Bitcoin

Como a maioria sabe sofremos um ataque de negação de serviço que durou de por volta das 10 da manhã,  às 4 da tarde. Este foi um ataque sincronizado que atingiu, até onde sabemos, a mtgox, btc-e, bitstamp, alguns pools de mineração e o Mercado Bitcoin.

Esse tipo de evento não é raro, e o objetivo é sempre tirar os sites do ar. Não existe a possibilidade de comprometerem as suas moedas virtuais ou valores em reais depositados. O Mercado Bitcoin tem uma estrutura robusta para suportar este tipo de agressão, mas a  intensidade de hoje foi sem precedentes. Basta ter em mente que derrubaram a mtgox, que já passou por isso diversas vezes e tem uma estrutura várias vezes maior que a nossa. Já estamos estudando medidas para melhorar o site contra este tipo de evento.

Contudo, não podemos prometer que este tipo de evento não ocorrerá mais. Pelo contrário, temos certeza que outros virão independente do que façamos. Pelo menos por enquanto essa será uma característica do negócio de intermediação de moedas virtuais no mundo inteiro: sempre haverá pessoas ou grupos dispostos a tentar distorcer o preço de alguma forma para benefício próprio, e ataques de negação de serviço são uma forma bem efetiva de conseguir isso.

Portanto, levem em consideração este fator quando decidirem usar qualquer site para comprar e vender moedas virtuais, ou um pool de mineração. Quem entrar neste barco tem estar preparado a suportar as ondas grandes que podem surgir no caminho e neste caso a onda pode vir de qualquer lugar do mundo e de diversas formas. Usar bitcoins como investimento incorre em aceitar esse tipo de risco.

Para servir de molho à receita, ainda há pessoas que querem gerar pânico dizendo, por exemplo, que um programa de rádio anunciou que o Mercado Bitcoin foi hackeado. Por que raios no mundo uma rádio anunciaria isso, se nem quando o Google sai do ar é notícia? Não deem atenção a este tipo de boato, nem tomem decisões precipitadas quando o serviços voltam a funcionar. Fizemos alguns comunicados ao longo do dia, e sempre faremos o mesmo. Assumimos aqui o compromisso de fazê-lo a cada duas horas em futuros eventos.

Esperamos retribuir da melhor maneira o apoio que tivemos da maioria dos clientes. Vocês foram uma peça importante para mantermos a calma e passar por mais essa dificuldade. Muito obrigado.

 

Equipe do Mercado Bitcoin

 

image002

Aviso Mercado Bitcoin

 

Olá clientes do Mercado Bitcon,

Nos últimos dias estamos operando com volumes depósitos e retiradas cerca de seis vezes maiores que do que tínhamos até a última semana e o volume de acessos ao site aumentou cerca de vinte vezes.

Alguns usuários podem estar enfrentando alguma lentidão e as respostas aos emails no admin@mercadobitcoin.com.br podem estar demorando um pouco mais do que nossos clientes estão acostumados.

Ninguém deixará de ser atendido dentro dos prazos e nenhum e-mail ficará sem resposta.

Nos próximos dias acrescentaremos novos servidores e estamos também aumentando nossa equipe para continuar atendendo com a rapidez de sempre.

As recentes boas noticias do Bitcoin e o reconhecimento ao nosso trabalho estão superando nossas expectativas!

Muito obrigado a todos!

Equipe do Mercado Bitcoin

Está chegando a 1 º Conferência Latino-americana de Bitcoins

labitconf

De 7 a 8 de Dezembro acontecerá na Argentina a primeira conferência de Bitcoins da América Latina, promovida pela Fundación Bitcoin Argentina.

Serão dois dias, em um final de semana, em Buenos Aires em que muito será pensado e discutido.

Esta conferência será uma oportunidade muito boa para ouvir e conhecer pessoalmente algumas das pessoas mais influentes no universo do Bitcoin e das moedas virtuais.

Vamos lá, é hora de gastar as milhas ou um pouco de bitcoins para participar deste evento que com certeza colocará os bitcoins em uma nova fase em nossa região!

Para se inscrever e conhecer mais basta entrar em www.LaBitConf.com

Até lá!

Rodrigo Batista

Brazil´s most influential scientific and cultural magazine pioneers by trying a Bitcoin paywall, developed by MercadoBitcoin.com.br

superinteressante-logo

Brazilian magazine SUPER (http://en.wikipedia.org/wiki/Superinteressante), has just printed its second article covering Bitcoins  to celebrate Satoshi’s paper creating the Bitcoin. The magazine is published by Editora Abril (http://www.grupoabril.com.br/IN/institucional/perfil-in.shtml), arguably one of the largest and most influential communications company in Latin America.

However, this second report comes with a innovative initiative: the editors decided to test how Bitcoin works in the real world and implemented a Bitcoin paywall, brand-new tool developed by Mercado Bitcoin, the Brazilian bitcoin exchange. As a result, SUPER´s customers and people from anywhere in the world will be allowed to buy some of their issues and pay with Bitcoins.

Behind the paywall, a system that prevents Internet users from accessing webpage content without a paying a fee, the magazine is publishing an English version of the article “Why is everything so expensive in Brazil?”, which is one of their most read articles ever and source of texts published by The New York Times in July and The Economist in September. Some other Portuguese language articles are also available.

Bitcoin micropayments have already been discussed for quite some time and such initiative from a renowned company is certainly very helpful to make it really happen.

It is probably the first time that a major global publisher of traditional media will be dealing with Bitcoins this way and it certainly is a major achievement for SUPER, for the Bitcoin community and for MercadoBitcoin.com.br.

To check what we have accomplished go to:

http://super.abril.com.br/tecnologia/compre-materias-super-bitcoins-758822.shtml
(English text at the bottom of the page)

 

A revista Super Interessante é a pioneira no mundo a testar pagamentos de matérias com Bitcoins, utilizando solução desenvolvida pelo Mercado Bitcoin

Em sua edição mais recente a revista Super Interessante, da Editora Abril, trouxe sua segunda materia tratando de Bitcoins. Contudo, nesta nova matéria, traz uma iniciativa inovadora e inédita: os editores decidiram testar como o Bitcoin funciona na prática. A Super é primeira revista do mundo a implementar pequenos pagamentos usando bitcoins, o chamado paywall.

O paywall é um sistema que permite aos usuários fazer pequenos pagamentos para ler uma matéria específica, o que não é possível com nenhuma tecnologia de pagamentos atual. A solução é muito rápida e libera a leitura em menos de 10 segundos em média. Por meio dele a revista venderá o próprio artigo sobre bitcoins, bem como as versões em português e inglês do texto “Porque tudo custa tão caro no Brasil”, que é um dos textos de maior sucesso na história da revista e que serviu de referência para artigos do The New York Times e da The Economist recentemente.

Micro pagamentos, que possam ser realizados por meio de celulares, computadores ou qualquer outro dispositivo, são uma das grandes possibilidades que o bitcoin oferece, e ter uma revista como a Super fazendo um teste de seu uso é um grande passo para a tecnologia do Bitcoin.

Para ver o que foi publicado pela Super, basta ir em http://super.abril.com.br/tecnologia/compre-materias-super-bitcoins-758822.shtml

Equipe Mercado Bitcoin.

Bitcoin chega aos 5 anos mais forte do que nunca

 

Há exatos cinco anos, um autor desconhecido, sob o pseudônimo ‘Satoshi Nakamoto’, publicava o artigo que deu origem ao Bitcoin. O texto – nomeado Bitcoin: A Peer-to-Peer Eletronic Cash System (Bitcoin: Um Sistema Peer-to-Peer de Dinheiro Eletrônico) – lançava as bases do dinheiro eletrônico baseado em criptografia, comentando como ele funcionaria e explicando as razões para a sua existência.

Continue reading

O Bitcoin faz hoje 5 anos!

5-years-cake

Estamos comemorando neste mês os 5 anos da criação do Bitcoin. O Bitcoin foi criado a partir do momento em que o anônimo Satoshi Nakamoto, publicou o seu paper para uma comunidade de desenvolvedores. Desde então a revolução se deu início.

Para homenagear, este mês o Mercado Bitcoin criou uma logo comemorativa, que você poderá ver em nossa fanpage no Facebook. Aproveite o momento para conhecer a fanpage de Bitcoin mais informativa do país, e claro, não deixe de curtir!

Abraço à todos e muito obrigado Satoshi!

 

L.

APIs do Mercado Bitcoin

api

Estamos muito felizes de disponibilizar oficialmente as APIs do Mercado Bitcoin.

API (Application Programming Interface) é um recurso para programadores desenvolverem sistemas que poderão se conectar e operar com o Mercado Bitcoin de forma automática.  Será possível fazer consultas, cotações, bem como emitir ordens e cancelá-las. Elas funcionam para Bitcoins e Litecoins.

Este lançamento permitirá aumentar o fluxo de negociação no Mercado Bitcoin, beneficiando até mesmos os que não operam por meio de API, pois trará mais liquidez às negociações.

Para ter acesso basta ser cliente VIP do Mercado Bitcoin. A documentação e exemplos de códigos estão disponíveis no site.

Nosso trabalho continua e todas as sugestões e críticas serão levadas em conta.

Abraços e bons negócios.

L.