O governo da Coreia do Sul já deu sinal verde e irá apoiar o comércio de criptomoedas, afirmou o chefe do Serviço de Supervisão Financeira do país, Choe Heung-sik.

O funcionário disse que as autoridades demonstraram a intenção de respaldar a negociação de moedas digitais e estimular o crescimento da indústria no país. A decisão surpreende o mercado, pois há três semanas diversas medidas para combater o uso de contas anônimas foram tomadas em solo sul-coreano.

Os reguladores exigem desde o dia 30 de janeiro que os investidores sejam identificados com seus nomes reais tanto em corretoras quanto em carteiras de criptomoedas. Diversos bancos começaram a emitir novas contas bancárias virtuais para quem negocia moedas digitais, mas algumas instituições financeiras permanecem relutantes em apoiar o mercado.

Para remediar o “temor” espalhado com a decisão de janeiro, Choe revelou que o governo deve encorajar os bancos a estabelecer vínculos e realizar transações com corretoras de criptomoedas.

As declarações do executivo marcam uma reviravolta na política sul-coreana após a proibição do comércio de moedas digitais proposta pelo Ministério da Justiça. Ao invés disso, a Coreia do Sul estão considerando criar um sistema próprio de aprovação e concessão de licenças para corretoras.

O que o mercado acha

Os entusiastas do setor parecem ter se empolgado com a decisão do governo sul-coreano levando a cotação das dez principais moedas digitais em valor de mercado, com exceção do Ripple e da Stellar.

O Bitcoin, moeda digital mais popular do mundo, registra alta de 5,74% nas últimas 24 horas ultrapassando a casa dos US$ 11,6 mil no CoinMarketCap. No Mercado Bitcoin, a moeda está sendo negociada a R$ 38 mil nesta terça-feira, dia 20.

Coreia do Sul vai apoiar o setor de criptomoedas, diz regulador
5 (1 voto)