Ontem, um comitê do governo da Arábia Saudita, composto por membros de diversos órgãos reguladores declarou que as negociações com criptomoedas são ilegais no país. No comunicado, emitido domingo, os reguladores avisaram das “consequências negativas e altos riscos para os negociadores, já que estão fora da supervisão do governo”.

Além disso, afirmaram que “o Bitcoin é ilegal em todo reino, e nenhum indivíduo ou entidade é licenciado para esse tipo de prática”. As maiores preocupações são em relação às ilusões quanto à garantia de retornos, e a transferência de valores para partes suspeitas.

Não há previsão de pena para aqueles que desobedecerem o decreto, o que torna incerta a sua efetividade.

O comitê, que inclui a autoridade de mercado de capitais da Arábia Saudita, e o Banco Central, foi formado por um decreto real. Entre as suas atribuições estão a fiscalização de valores mobiliários e a obrigação de tentar evitar a exposição do público às criptomoedas.

Apesar de não ser uma posição oficial do governo, o príncipe Al-Waleed bin Talal disse em dezembro de 2017 que o Bitcoin “iria implodir algum dia”. Na mesma fala, o príncipe comparou o investimento à Enron, empresa de contabilidade ligada à escândalos de fraude nos anos 2000.

Conheça o Mercado Bitcoin, maior corretora de criptomoedas da América Latina