A Kodak, empresa de tecnologia norte-americana, ressurgiu das cinzas após o anúncio de que pretende lançar em breve sua própria criptomoeda e fazer uma Oferta Inicial de Moedas (ICO, na sigla em inglês) no fim deste mês.

O assunto foi bastante comentado nas redes sociais e empolgou investidores nos quatro canotos do globo. Porém, engana-se quem pensa que a altcoin funcionaria para todos: ela seria um registro digital criptografado de propriedade de direitos autorais para fotógrafos.

De acordo com a empresa, fotógrafos usariam o blockchain da marca, com a KODAKCoin, agindo como um meio de troca na plataforma, ou seja, usuários poderiam receber pagamento na criptomoeda assim como também poderia quitar deveres.

Esse é o primeiro sinal de que a Kodak parece ter finalmente entendido que a tecnologia é parte do futuro. A empresa é muito conhecida por produtos relacionados ao universo da fotografia e passou por um processo de recuperação comercial em 2013.

O que a Kodak diz

Em comunicado o CEO da empresa, Jeff Clarke, disse:

“Para muitos na indústria de tecnologia, ‘blockchain’ e ‘criptomoedas’ são as palavras-chave do monento, mas para os fotógrafos que há muito se esforçaram para afirmar o controle sobre seu trabalho e como é usado, essas são as chaves para resolver o que parecia ser insolúvel problema. A Kodak sempre procurou democratizar a fotografia e tornar o licenciamento justo para os artistas. Essas tecnologias dão à comunidade de fotografia uma maneira inovadora e fácil de fazer exatamente isso”.

A companhia não informou quando será realizado o ICO, contudo deixou claro que a venda de token será aberta a investidores de diversos países, incluindo os Estados Unidos e o Canadá. Sabe-se que a oferta inicial de moedas seguiria as diretrizes da Comissão de Títulos e Câmbio do governo americano.

O mercado parece ter gostado da notícia tanto que as ações da empresa aumentaram 37% durante o dia, chegando a valer US$ 5,50.

Kodak decide inovar e lançará criptomoeda própria
3.8 (4 votos)