Se você ainda acha que o mercado de moedas digitais não está com nada prepare-se: a revista americana Forbes criou uma versão da lista das pessoas mais ricas do mundo que trata apenas dos milionários do universo das criptomoedas.

O único quesito para fazer parte do seleto grupo de magnatas selecionados na Crypto Richest List é ter uma fortuna mínima de US$ 350 milhões ou mais de 41 mil bitcoins na cotação atual (aproximadamente US$ 8,480 no CoinMarketCap).

Tudo bem que todo mundo sabe que no mundo das moedas digitais, fortunas podem ser feitas e desfeitas em questão de minutos dada a volatilidade dos ativos, porém quem faz parte desse ranking difere dos demais investidores do setor.

Audácia, criatividade e sangue frio são algumas das qualidades dos representantes que foram escolhidos baseados em estimativas de valor líquido de suas “gordas” contas bancárias que são compostas por quantidade de criptomoedas, lucros pós-taxas e participação em negócios relacionados ao universo da criptografia.

Os cinco primeiros colocados no ranking da Forbes

O investidor Matthew Mellon, dono de uma das maiores fortunas bancárias dos Estados Unidos, aparece em 5o lugar com aproximadamente US$ 1 bilhão apenas em aplicações em moedas digitais. Ele foi um dos primeiros a apostar no Ripple e parece não ter se arrependido da ousadia de investir em uma nova tecnologia.

Os gêmeos Tyler e Cameron Winklevoss, conhecidos pela batalha judicial contra Mark Zuckerberg pelo Facebook, colecionam bons ganhos com o mercado de criptomoedas com pelo menos US$ 1,1 bilhão graças a “grande sacada” de comprar Bitcoin em 2012, quando a moeda digital era praticamente desconhecida.

Changpeng Zhao criou a maior corretora de moedas digitais do mundo, a Binance, em menos de sete meses e em um período menor do que esse viu seu negócio render e acrescentar a sua conta bancária cerca de US$ 2 bilhões.

O canadense Joseph Lubin é um dos fundadores da plataforma Ethereum. Não bastasse estar envolvido com um dos projetos mais bem-sucedidos do setor, ele também é o fundador da ConsenSys, empresa que ajuda outras companhias a criar e operar na rede Ethereum. Os projetos já lhe renderam pelo menos US$ 5 bilhões. Nada mal, né?

Chris Larsen, cofundador do Ripple, foi eleito pela publicação como a pessoa mais rica do segmento das moedas digitais com fortuna estimada entre US$ 7,5 bilhões e US$ 8 bilhões.

Outros nomes

Também fazem parte da lista: o fundador do Ethereum, Vitalik Buterin; o fundador da Coinbase, Brian Armstrong; presidente da Bitcoin Foundation, Brock Pierce; o CEO do Block.one, Brendan Blumer; o CEO da Bitfury, Valery Vavilov e o fundador da Upbit, Song Chi-Hyung.

Nenhuma mulher figura entre os 14 selecionados pela revista Forbes.

Não poderíamos deixar de citar a ausência de Satoshi Nakamoto, o misterioso inventor do Bitcoin. Como ninguém sabe sua identidade real, a revista preferiu não arriscar e deixar os palpites sobre sua fortuna para outras publicações.

Forbes cria lista das pessoas mais ricas do mundo das moedas digitais
5 (2 votos)