O Bitcoin no momento está sendo negociado a aproximadamente R$27.000 no Mercado Bitcoin, ou US$7500 em várias corretoras pelo mundo. Mesmo com esse valor impressionante, a nota mais valiosa do mundo compra quase 1 Bitcoin.

É a nota de B$10.000, que circula em Brunei, um pequeno país asiático governado por uma monarquia absoluta. Pelo câmbio atual, o valor em dólares americanos da nota é de US$7482. O dólar de Brunei, moeda local, é legalmente vinculada ao dólar de Cingapura. Emitida em 2006, a nota tem a face do sultão Hassanal Bolkiah.

O país, apesar de muito pequeno, possui grandes reservas de petróleo. Isso faz com que Bolkiah seja um dos homens mais ricos do mundo, com pouco mais de US$20 bilhões de fortuna pessoal. O casamento de seu filho mais novo, que durou 3 dias, custou US$ 3 milhões. Além disso, o sultão é um dos maiores colecionadores de automóveis do mundo, com mais de 5000 veículos.

As grandes notas do mundo estão em extinção. A justificativa para sua existência é que podem ser úteis em casos de emergência ou guerra. Só que também podem ser amplamente usadas para lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo. Esse é o principal motivo pelo qual a União Européia está acabando com sua nota de 500 euros, por exemplo. Países como Brunei não apresentam esse tipo de risco, já que sua moeda é não é amplamente aceita no mundo.

A comparação com as criptomoedas é inevitável. Muitos sugerem que sua natureza privada é ideal para crimes como os que podem ser praticados com as grandes notas. Grandes ataques também são dirigidos às criptomoedas privadas, como o Monero.

Enquanto no Bitcoin as chaves públicas são criptografadas, as transações são permanentemente registradas no blockchain. Além disso, um Bitcoin é sempre rastreável. Se algum dia aquele Bitcoin foi usado em lavagem de dinheiro, ele ficará para sempre “marcado”.

Nas criptomoedas privadas, é impossível saber as partes da transação, ou mesmo seu valor. O Monero, por exemplo, é tão secreto que não se sabe quantos deles estão em circulação.

Claro que as criptomoedas podem ser usadas para crimes, assim como qualquer outro ativo. Contudo, alguns relatórios econômicos mostram que o risco ainda não é alto.

Conheça o Mercado Bitcoin, maior corretora de criptomoedas da América Latina

Nota mais valiosa do mundo compra quase 1 Bitcoin
4.4 (8 votos)