O fim do Silk Road e o impacto no Bitcoin

 618px-Silkroadmain

O maior mercado anônimo de compra e venda de drogas da internet – o Silk Road – foi tirado do ar nesta quarta-feira (2 de outubro), causando um enorme impacto no valor do Bitcoin. Operando desde o começo de 2011, o website, acessível somente através de softwares anonimizantes como o Tor, se tornou praticamente sinônimo das ilegalidades praticadas na chamada internet profunda – e, na parte que nos toca, inegavelmente era um dos grandes destinos de bitcoins, única moeda que era aceita nas transações. O fechamento foi fruto de uma ação conjunta do FBI, Receita Federal, do departamento responsável pela segurança nacional e da polícia anti-drogas norte-americana.

Também foi revelada a identidade do ‘anônimo’ criador do Silk Road, até então reconhecido somente pelo pseudônimo Dread Pirate Roberts, algo como ‘infame pirata Roberts’. Mais ou menos nos moldes do criador do Bitcoin, que usa o nome-fantasia Satoshi Nakamoto, não se sabia se Roberts era uma pessoa ou várias, e não havia sequer suspeita de sua vida no mundo real.

Agentes responsáveis pelo processo afirmam que se tratava de Ross Ulbricht, 29 anos, residente de Austin, Texas, e que teria sido preso em São Francisco, também nos Estados Unidos. Ele foi acusado de hackear, lavar dinheiro, traficar drogas e, em pelo menos uma ocasião, contratar um assassino de aluguel para apagar um usuário do Silk Road, que ameaçava revelar a identidade de seus clientes. Infelizmente, o acerto foi feito também em bitcoins.

Ross sempre zelou pela sua privacidade, mas cometeu um erro bobo que levou à identificação. A informação ainda não é oficial, mas circula que ele teria requisitado nove identidades falsas a um criminoso e deu o endereço de sua casa para a entrega. Recentemente ele também estava soltando mais as asinhas e se expondo, como em uma entrevista que deu à revista Forbes, na qual revelada uma motivação político-econômica, de fundo libertário, para a criação do que ficou conhecido como o ‘eBay das drogas’. De qualquer forma, independente do deslize cometido por ele, vale salientar que os órgãos responsáveis já investigavam há anos o Silk Road, e inclusive realizaram diversas compras no mercado ilegal para tentar descobrir quem eram alguns de seus principais operadores.

A revelação da sua identidade trouxe alguns fatos curiosos à tona. Sua conta no YouTube contava com uma playlist de nome ‘for later’ (‘para depois’), com vídeos sobre privacidade na internet, um particularmente notório: ‘How to get away with stealing’ (‘Como não ser pego roubando’). Também é possível acessar o perfil de Ross no LinkedIn, onde ele posa de bom moço e mostra a cara, mas dá algumas pistas sobre seus interesses ocultos. Depois de falar um pouco do seu histórico profissional, ele afirma:

“Agora, meus objetivos mudaram. Eu quero usar a teoria econômica como um meio de abolir o uso da coerção e da agressão na humanidade. Da mesma forma que a escravidão foi abolida em quase todos os lugares, eu acredito que a violência, a coerção e todas as formas de uso da força contra uma pessoa devem chegar ao fim. O uso mais disseminado e sistemático de uso da força é através de instituições e governos, então esse é meu atual ponto de esforço. O melhor modo de mudar o governo é mudar as mentes dos governados. Dessa forma, estou criando uma simulação econômica para dar às pessoas a chance de uma experiência única, em primeira mão, de vida em um mundo sem o uso sistemático da força”. E claro, tal experiência era o Silk Road.

ross-ulbricht-linkedin.png

Um estudo publicado em 2012 por Nicholas Christin estipulava que o Silk Road obtinha lucro mensal de até US$ 2 milhões, em valores convertidos do Bitcoin. No total, o site teria faturado até US$ 1,2 bilhão em dois anos de atividade. A conta de Ross, contendo 26000 BTC, foi congelada. Foi a maior apreensão da curta história da moeda criptográfica.

Queira ou não, o site era um importante destino dado às moedas digitais, e obviamente a notícia do seu fim impactou negativamente o valor do Bitcoin, que despencou durante a tarde e atingiu mínima aproximada de US$ 86. Ao mesmo tempo, os baixos preços atraíram novos compradores. Durante o dia, o valor voltou a subir e, no fechamento deste texto, girava em torno de US$ 103. Veremos como isso evolui nos próximos dias.

btc

O Silk Road era conhecido por contar com uma garantia quase inquebrável da proteção à privacidade de vendedores e compradores, e de fato foi assim durante parte da sua existência. ‘Dread Pirate Roberts’ gabava-se do seu anonimato e muitos achavam que ele nunca seria descoberto. Mas, mesmo com todo esse esforço criptográfico, ainda assim foi possível que as autoridades desmontassem o negócio e prendessem o seu dono.

O resumo da ópera? Nada é anônimo na internet. E, se você estiver fazendo coisas erradas nesse ambiente, com bitcoins ou não, é bom tomar cuidado: mais cedo ou mais tarde, você pode ser pego.

 

 

Thoreau

Entusiasta do potencial libertário do Bitcoin e outras experiências econômicas similares. Colabora quinzenalmente para o Bitcoin Brasil.

8 thoughts on “O fim do Silk Road e o impacto no Bitcoin

  1. Caio Pires says:

    O fórum Bitcointalk foi desativado e me parece que o Administrador não está muito animado em reativá-lo (no Reddit ele chegou até a perguntar pros usuários sobre o porquê de quererem tanto sua reativação, pois “é apenas um fórum”).

    Eu criei outro (grátis mesmo, pobreza…) e gostaria de uma ajuda para divulgá-lo. Você, administrador do blog, pode me ajudar com isso? Não tenho contatos de e-mail e lá no Bitcointalk eu estava começando ainda. Se houver lugares onde eu possa divulgar meu link, me passa, pode ser pelo e-mail (caio2211@gmail.com), agradeço.

    Sem mais
    Caio

    P.S.: Como curiosidade mata (de vontade), o endereço do fórum que eu criei é btcforum.forum-livre.com. E se você não publicar este post, peço que pelo menos responda no meu e-mail. VLW!!!

  2. Xefts says:

    realmente derrubaram o site mas acho que estão querendo fazer todo mundo acreditar que o DPR foi preso… é muita estupidez encomendar fake id pro endereço de casa… acho q nem o mais otário dos principiantes faria isso… sem falar que o fato de derrubar o site e não prender o dono(s) que pode ser mais de um daria apenas a impressão de falsa vitória… pra mim essa parte da história não passa de estória

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *