O G1 grita: “O Brasil será o país do Bitcoin”!

Aqueles que acompanham a saga do Bitcoin tem motivos para comemorar! Foi publicado pelo portal de informações mais acessado (e formador de opinião), o Globo.com, um novo artigo sobre o tema.

Artigo esse que se difere dos demais por demonstrar opiniões divergentes (do “defensor da moeda” e de um economista) de forma neutra e elucidativa.

Analisando o comentário cheio de ressalvas do economista entrevistado, percebemos como a discussão girou em torno de exchange (ou casa de “cambio” como se referem), onde expressa que o bitcoin perde sua característica de “escambo” (que nada mais é do que troca direta de produtos ou serviço) por passar por um terceiro agente (Exchange) que cobra taxas pelas ações realizadas e o risco de manipulação.

Sobre as taxas cobradas, isso é mundial e acontece em qualquer Exchange. O motivo é simples e acredito que nem precisaria citá-lo aqui…mas acho que é merecido! Desenvolver e manter um site de Exchange (que funcione, tenha suporte, mantenha todas as transações em dia e que garanta segurança e transparência) não é fácil, exige tempo, conhecimento, dedicação e sim, dinheiro! Seria justo montar uma plataforma de grande porte, administrá-la, gerenciá-la e ainda sustentá-la??

Qual moeda não sofre especulação?

Sobre a forma de manipular que ele se referiu, acredito que como o bitcoin ainda sofre com essa oscilação em seu valor, há especulações e haverá até que o valor se mantenha estável…mas foi (ou é) diferente de qualquer outra moeda no mundo? Qual delas, mesmo sendo centenárias, ainda não geram especulações? Convenhamos que essa é uma característica inerente a moeda, sendo virtual ou não.

Sobre a advertência “Nos últimos meses, as más notícias apareceram com mais frequência, portanto todo cuidado é pouco”, para quem acompanha realmente a história do bitcoin, sabe que as tais “más notícias” são pura e simplesmente derivadas de “erro humano” que ocasionaram perdas para usuários (exchangers mal administrados e inseguros), a falta de segurança do usuário (roubos) ou o mal uso da moeda (venda de drogas, fotos eróticas por bitcoins) e não sobre a moeda em si!

Tudo isso só faz reafirmar a necessidade de serviços de bitcoin responsáveis e de segurança, onde qualquer usuário (principalmente o leigo) possa interagir com facilidade e transparência. Portanto amigos, hoje temos que comemorar sim!

É hora de nos unir para disseminar ainda mais a moeda, aproveitar que o bitcoin está na boca do povo e unir esforços (isso mesmo, unir) para que essa seja a porta aberta para novos projetos e negócios!

E ai sim, mantendo essa porta aberta, também não tenho dúvida que o Brasil será o país do bitcoin.

Nosso grito se mantem!

Link da notícia: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/06/brasil-sera-o-pais-do-bitcoin-diz-defensor-de-moeda-criptografica.html

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *