A Agência de Serviços Financeiros (FSA), órgão regulador japonês, anunciou planos de contratar mais 12 pessoas para lidar com o alto fluxo de pedidos de abertura para plataformas de negociação de criptomoedas.

Na reunião de um grupo de trabalho, o gestor de coordenação regulatória, Kiyokata Sasaki, afirmou que a agência está trabalhando com 30 pessoas na área de criptomoedas. Apesar disso, como mais de 160 empresas estão aguardando a emissão de licenças para operar, a agência considerou o número insuficiente.

Em um documento publicado depois da reunião, o órgão regulador japonês afirmou que são 16 casos sob revisão, 12 dos quais retiraram seus pedidos, e um que foi rejeitado. Outros três aguardam uma decisão final.

A principal preocupação do órgão regulador japonês são as políticas anti lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo. Outras preocupações incluem governança das corretoras, prevenção de risco e políticas de compliance.

Conheça o Mercado Bitcoin, maior corretora de criptomoedas da América Latina