A última vez que os Bitcoins estavam estourando na mídia era relativo à notícia de estarem utilizando os mesmos para compra de drogas. Desta vez, volta a tomar espaço nos meios noticiosos por causa de uma sequência de eventos envolvendo roubo e invasão por hackers. O que você pode fazer para se proteger?

O caso inicial foi o do Australiano que alegou perder 25.000 Bitcoins em um “roubo” no seu PC. O segundo agora mais aterrorizante foi a da bem sucedida invasão que ocorreu no MtGox, que é o maior exchange de Bitcoins no mundo.
Pronto, instalou-se o terror no mundo! Não usarei aqui um artigo para descrever os fatos narrados acima, pois já temos fontes aos milhares que estão fazendo isto. Meu interesse aqui é passar um pouco de dicas e regras básicas de segurança para que você não seja mais uma vítima a ingressar nestas horripilantes estatísticas.

Onde há dinheiro, há ladrão. Então a tendência é que estas histórias se tornarem cada vez mais comuns.

Começaremos quebrando alguns mitos de segurança que achei interessante compartilhar:

Mito 1: Wallets criptografados são o top da segurança!

“Se eu tiver minha carteira criptografada ninguém vai conseguir roubar”. Você está errado. A partir do momento que um atacante possa instalar um software malicioso na sua máquina, existem inúmeras maneiras que ele pode utilizar para roubar suas suadas moedinhas Bitcoin. Uma das maneiras mais simples seria o uso de keyloggers, aplicação que fica rodando no plano de fundo que serve para capturar tudo o que você digita no seu PC. Ele ficará monitorando até capturar a senha da sua “tão segura” criptografia! Aí meu caro, criptografou pra nada.

Mito 2: Windows é seguro o suficiente para guardar o meu wallet.

O Windows é de longe o sistema operacional mais popular que existe. E já tem tempo viu! Por este motivo ele é o alvo principal de todo e qualquer ataque que se possa criar para os humildes usuários domésticos de computador. Como o Bitcoin se transformou em dinheiro, um bom dinheiro, lógico que não ia demorar muito para que se fizesse vírus e outros softwares maliciosos que entram na sua máquina famintos em busca de um arquivo chamado wallet.dat (o arquivo que armazena os seus Bitcoins).

Se você possui uma quantia humilde de Bitcoins, que não te fará cometer suicídio, caso alguém a leve para passear, mantem um antivírus atualizado, um firewall bacana, toma cuidado com downloads desconhecidos e faz backup com regularidade, não terá muita tendência de engrossar as estatísticas acima. Pode dormir tranquilo.

Agora se ao contrário, você está guardando uma quantia que pode te fazer chorar, você terá de tomar medidas mais rígidas.
Como o Bitcoin não possui um “Banco Central” para controlar, quem toma posse do seu wallet, toma posse dos seus Bitcoins, sem volta.
Neste caso, como o Windows é o principal alvo, é recomendável que entre outras, mude de plataforma. Outras opções seriam o Mac, que sofre muito, mas muito menos ataques,  e na barreira do improvável temos ainda o Linux, OpenBSD e FreeBSD.

Hoje o Linux se tornou muito fácil de usar, por que não tentar utilizar um Ubuntu, por exemplo, só para brincar com o seu cliente Bitcoin com tranquilidade?

Mito 3: Os exchanges (sites de compra e venda) são impenetráveis!

Não preciso entrar em detalhes sobre isto devido aos últimos acontecimentos que já conversamos. Tenha em mente o seguinte: Nenhum serviço on-line de Bitcoin é 100% seguro! Alguns são melhores do que outros, mas a maioria é nova e não testada corretamente.

 

Mitos quebrados! Não se desespere, que o mundo ainda não acabou. Vou tentar melhorar um pouco a sua vida com algumas pequenas dicas básicas de segurança:
Nunca use a mesma senha para tudo
Se você usar a mesma senha do e-mail, banco, site de exchange, faculdade e etc, se comprometer uma, você voltará automaticamente para a época da pré-história. Crie uma senha para o site que você quer usar, de preferência com mais de 12 caracteres alfanuméricos e anote em um lugar seguro para não esquecer, como por exemplo, um documento na sua conta do Google Docs.
Use Browsers seguros
Recomendo Chrome e Firefox (nesta ordem). Morte ao Explorer!
Nunca deixe grandes quantias em sites
Se você foi feliz nas negociações e acumulou uma boa quantia de Bitcoins, transfira para o seu wallet pessoal na sua máquina e utilize as medidas de segurança que já sugerimos.
Tire backup de seu wallet
Cada vez que fizer alguma transação:  desligue o cliente Bitcoin, copie o wallet.dat para algum lugar. Compacte com uma senha boa (zip, rar, 7z, etc) ou criptografe. Daí transfira pra uma conta segura de Gmail (mandando um e-mail para você mesmo com ele em anexo)  ou até mesmo Dropbox. De preferência ainda mude o nome dele de wallet pra qualquer-coisa-que-não-pareça-wallet.dat.

Estas são dicas bem básicas de segurança.

Estaremos em outros artigos colocando tutoriais e mais.

Espero que gostem.

Segurança dos Bitcoins
3 (2 votos)